Olá Visitante, seja bem vindo!
Faça Login ou Registre-se
Filmes e Séries
Literatura
Música
Eventos
Convidados
Colaboradores
Home > Para Ler > Blogs
10
Out
POESIA DE DOMINGO
HARRY POTTER, um poema de Adélia Prado







Quando era criança
escondia-me no galinheiro
hipnotizando galinhas.
Alguma força se esvaía de mim,
pois ficávamos tontas, eu e elas.
Ninguém percebia minha ausência,
o esforço de levantar-me pelas próprias orelhas,
tentando o maravilhoso.
Até hoje fico de tocaia
para óvnis, luzes misteriosas,
orar em línguas, ter o dom da cura.
Meu treinamento é ordenar palavras:
Sejam um poema, digo-lhes,
não se comportem como, no galinheiro,
eu com as galinhas tontas.



[in A duração do dia, Adélia Prado. Rio de Janeiro, Record: 2010]

Comentários (0)
Comente você também!
Nome

Mostrado junto ao comentário
Email

Não mostrado junto ao comentário
Postar Comentário
CAPTCHA
Copie os caracteres que
aparecem na figura ao lado

Notícias
Visite nosso site de vendas
Arquivo
powered by Brado! Networks