Olá Visitante, seja bem vindo!
Faça Login ou Registre-se
Artes
Filmes e Séries
Games
Literatura
Música
Quadrinhos
Home > Para Ler > Entrevistas
Roberto Carlos anuncia o lançamento em CD do show gravado em Jerusalém08. 02. 2012
 
Por André Bernardo
 
Houve um tempo em que final de ano sem disco de músicas inéditas de Roberto Carlos era como ceia de Natal sem peru ou panetone. Difícil acreditar que um pudesse existir sem o outro. Mas, desde 2006, o cantor só lançou CDs de regravações: Roberto Carlos – Duetos, de 2006; Roberto Carlos – En Vivo e Roberto Carlos e Caetano Veloso e a Música de Tom Jobim, de 2008; Elas Cantam Roberto Carlos, de 2009; e Emoções Sertanejas, de 2010. Até o final do ano, Roberto Carlos promete lançar um novo álbum só com músicas inéditas, o 64º de sua carreira.

Antes disso, porém, entre março e abril, Roberto Carlos lança o CD do show Emoções em Jerusalém, gravado ao vivo no Sultan’s Pool, em Jerusalém, no dia 7 de setembro de 2011. Durante o espetáculo, Roberto Carlos canta músicas de seu repertório, como “Detalhes”, “Como Vai Você” e “Mulher Pequena”, em diferentes idiomas: espanhol, inglês e italiano. Além disso, interpretou também clássicos de Nat King Cole, como “Unforgettable”, e Lucio Dalla, “Caruso”. Por isso mesmo, o lançamento do álbum, em CD e DVD, será simultâneo em vários países.

Aos 70 anos, Roberto Carlos se mostra um sujeito conectado às novas tecnologias. Já lançou o “Projeto Emoções” no Facebook e contabiliza quase 24 mil seguidores no Twitter. Nos últimos anos, o cantor relançou sua discografia completa na coleção Pra Sempre. A única exceção é o álbum Louco por Você, o primeiro da carreira, lançado em 1961. “Assim que tiver tempo, quero melhorar o som desse disco. Não quero lançá-lo por lançar, do jeito que foi gravado originalmente. Se algum dia eu vier a lançá-lo, será com a qualidade técnica a que estamos acostumados”, justifica.
 
No último domingo, a bordo do transatlântico Costa Pacífica, Roberto Carlos concedeu sua coletiva anual de imprensa. O projeto “Emoções em Alto-Mar”, inaugurado em 2005, já está em sua 8ª edição. “Quando subo a bordo, deixo meus problemas do lado de fora. E, quando desembarco, tenho vontade até de chorar”, brinca o cantor, que é dono de dois iates, ambos batizados de Lady Laura, em homenagem à sua mãe.
 
Até 2005, você lançou praticamente um álbum por ano. De lá para cá, só regravações. O que aconteceu? Essa decisão foi reflexo da pirataria e da internet? Ou lançar CDs deixou de ser lucrativo no Brasil?

Roberto. Não deixei de lançar um disco por ano por causa da internet ou da pirataria. Cheguei a um ponto da minha carreira que achei melhor não lançar mais um disco por ano. Em vez disso, prefiro trabalhar nele por dois ou três anos antes de lançá-lo no mercado. Infelizmente, surgiram alguns imprevistos que me impediram de lançar um disco a cada dois ou três anos como eu gostaria. Mas, este ano, pode ter certeza, eu quero lançar esse disco. Só não sei ao certo ainda quando ele vai ficar pronto. Bem, pronto, pronto, para começo de conversa, eu nunca acho que um disco está... (risos) Costumo dizer que eu não entrego disco para a gravadora. Eu simplesmente “abandono” quando não aguento mais a pressão do Dody (Sirena, empresário) e da Sony... (risos)

Você e Erasmo têm material suficiente para lançar um álbum de inéditas?
 
Roberto. Sim, tenho música inédita suficiente para gravar um álbum. Mas as músicas ainda não estão totalmente prontas. Algumas estão. Outras, não. Outras, ainda, estão por fazer. Assim que possível, volto a trabalhar nessas músicas. Acredito que, até junho, eu já deva ter esse material todo pronto. No momento, pretendo me dedicar totalmente a esse disco. E ainda tenho um álbum em espanhol a ser lançado. Há muito não lanço nada lá fora. Isso sem falar que ainda tenho uma turnê internacional pela frente. Vou excursionar por México e EUA.

Ano passado, você apresentou o show “Emoções” em Jerusalém. Pretende levá-lo para outros lugares, como Central Park, Las Vegas ou Veneza?

Roberto. Olha, por mim, eu levaria esse show para Cachoeiro de Itapemirim. Mas o Dody vai inventar de levá-lo para Austrália, Grécia e assim por diante... (risos) Este ano, com certeza, não. Mas, ano que vem, já estamos estudando propostas para levar o show “Emoções” para outros países.

O CD do show gravado em Jerusalém será lançado em breve. O que motivou você a registrar aquele show em CD e DVD?

Roberto. O show em Jerusalém foi uma das melhores coisas que já fiz na minha vida. Por isso, decidi registrá-lo em CD e DVD. Quando a gente vai a Jerusalém, experimenta uma emoção muito forte. Uma emoção tão especial que fica até difícil descrevê-la com palavras. Hoje em dia, a minha fé é muito consciente e equilibrada. E, com certeza, depois dessa viagem, a minha fé aumentou muito.
 
 

No Brasil, você foi um dos pioneiros na realização de cruzeiros marítimos com música ao vivo. Hoje em dia, vários artistas, como Ivete Sangalo, Roupa Nova e Zezé di Camargo e Luciano, também fazem. A que você atribui o sucesso deste formato?

Roberto. Você não imagina a ansiedade com que eu espero o ano inteiro por esse cruzeiro. Quando entro no navio, deixo todos os meus problemas do lado de fora. E, quando desembarco, a vontade que eu tenho é de chorar. Aqui dentro, parece que estou numa viagem dos sonhos. Sempre que desembarco, sinto vontade de voltar correndo para o navio e prosseguir viagem. Adoro navegar. Adoro curtir o balanço do mar. Sou um homem do mar.

Em 2011, você foi campeão do carnaval carioca com o enredo “A Simplicidade de um Rei”, da Beija-Flor de Nilópolis. Ainda existe algum tipo de homenagem que gostaria de receber?
 
Roberto. Olha, estou muito contente com tudo o que tem acontecido comigo. Mas, logicamente, eu quero conquistar muito mais. Quero continuar fazendo o que faço cada vez melhor para, através do meu trabalho, conquistar outras coisas. Você pode ter certeza de que homenagens como a que recebi da Beija-Flor me impulsionam a seguir em frente. Ainda hoje, não me esqueço da emoção de desfilar na avenida. Quanto mais se aproxima o carnaval, mais penso no que eu vivi na avenida. Todos os dias, agradeço à Beija-Flor pela homenagem que me fizeram. Foi uma das maiores que já recebi.

Volta e meia, seu repertório é revisitado por bandas de rock, forró e samba. Você gosta de ver seus clássicos traduzidos para outros gêneros musicais?

Roberto. Sim, muito. Fico contente quando isso acontece. Sempre que alguém regrava uma música minha, principalmente as bandas novas, eu tenho a impressão de que eles prestam atenção ao que eu faço há tantos anos. Fico feliz com esse reconhecimento.

Você é um artista antenado com as novas tecnologias?

Roberto. Acho o formato digital maravilhoso. Sinto que ele facilita a divulgação do trabalho do artista. E facilita também o acesso do público à obra desse artista. Quero lançar meu próximo trabalho, inclusive, de uma forma diferente de tudo que já fiz. Agora, em relação a compor, ainda componho com lápis e papel. Sei que outros artistas já utilizam o computador para isso. Mas, comigo, não funciona. Sinto que o que penso sai melhor na folha de papel do que na tela do computador. Pode até ser que, depois, eu passe tudo para o computador e dê uma mexida no que eu escrevi. Mas ainda não uso computador para compor música.

Nos últimos anos, você lançou a coleção Pra Sempre, que revisita sua obra, década por década, com restauração das capas, contracapas e encartes. Quando pretende relançar seu primeiro álbum, Louco por Você, de 1961?

Roberto. Não pretendo. Pelo menos, não por enquanto. Sinto que rola uma polêmica em torno desse CD por ele nunca ter sido lançado. Eu nunca quis lançá-lo porque sempre esperei por uma evolução da tecnologia para melhorar o som dele. É um disco lançado há muito tempo, quando eu ainda era um menininho... (risos) Assim que eu tiver tempo, quero melhorar o som desse disco. Não quero lançá-lo por lançar, do jeito que foi gravado originalmente. Se eu vier a lançá-lo algum dia, será com a qualidade técnica a que estamos acostumados.
 
 
Comentários (6)
Mario - 28/12
Lança logo o novo cd Roberto
Alberto Silva - 17/11
Amo Roberto Carlos de toda minha alma, sofro quando ele sofre e vê-lo assim é uma felicidade, peço a Deus que o ilumine sempre e estamos agoniados a espera de seu cd de inéditas, mete bronca meu Rei.Abraço!
EDSON JOSE FRANCO VERAS - 15/07
O Roberto tem adiado muito o lançamento do seu CD/DVD de inéditas, porém oro sempre a Deus que lhe dê forças para conseguir lançar o seu novo disco até o fim do ano pois tenho certeza que o Brasil todo espera por essa obra que sei não ser so dele pois haverá muito parceiros que vão lhe ajudar. é opórtuno dizer que a propaganda é a alma do negócio e esse dico tão esperado deve ser tambem bastante divulgado nos radios, na televisaõ, jornais e revistas.
Orlando Camargo - 05/04
Que o menino Deus ilumine sempre sua voz, você sempre será nosso rei. Abraços da familia Camargo.
Luiz José - 26/02
Entrevista interessante, depois de tudo que ele passou. Entrevista excelente por André Bernardo.
Carlos Eduardo Bittencourt - 08/02
Vida longa ao Rei. Maravilhosa entrevista e matéria. Parabéns para o repórter, que foi bastante sensível no que o nosso Rei diz e pensa
Comente você também!
Nome

Mostrado junto ao comentário
Email

Não mostrado junto ao comentário
Postar Comentário
CAPTCHA
Copie os caracteres que
aparecem na figura ao lado

Notícias
Visite nosso site de vendas
Arquivo
powered by Brado! Networks